Páginas

terça-feira, 11 de março de 2014

Nomes grifados

Você me prende em seus sonhos
Me prende tentando não pensar em mim
Estas correntes de aço em mim acorrentadas
Você bebe meu sangue me sugando a vida
Enquanto vai matando a sua
Enquanto pensar em mim, ainda pensarei em ti
No nosso futuro distante
Distante de acontecer
Nossos nomes não são citados
Ainda sim são grifados
De vez em quando tenho coragem de olhar no espelho e ver
O tempo passou e esta passando
Estou ficando velho
O tempo aqui é limitado
E nossas vidas talvez não mas se cruzem
Aquela fotografia de seu rosto ainda tenho em minha mente
E quando acordo seu cheiro perfumado ainda esta ao lado
Mas não tem mas ninguém lá
Ninguém consegue ocupar seu lugar

Um comentário: