Páginas

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Por que?

Por que?
Eu te amava ou te amo ainda, na verdade não sei mais ao certo
É tanta mistura de sentimentos que acabo me perdendo
Amor, saudade, tristeza, magoa...
Ainda me lembro das horas felizes que minha mente criou idolatria
Em meio a turbulência do dia-a-dia, pego-me de instantes e instantes pensando em você
Você, que virou meu ponto de referencia em felicidade
A agua mais pura do céu do olimpo
Que por sua vez minha fonte secou
Agora só lagrima tenho para saciar minha sede
Esta agua salgada que aos poucos vai me matando
E o fantasma da lembrança que insiste a me perseguir aonde for e com quem estiver
Faz eu carregar a sombra do desespero que de mim não se desprende, e nem se sacia
A questão que te pergunto e que me alucina é:
Por que entrou em minha vida para sair deste jeito?

Nenhum comentário:

Postar um comentário